• Mariana Pires (MTB 14286)

Marenco manifesta apreensão com a instalação de novos pedágios e aumento de tarifas

O deputado Luiz Marenco (PDT) tem manifestado grande apreensão com a instalação de 13 novas praças de pedágio no estado, o que elevará para 46 os pontos de cobrança nas estradas gaúchas. Conforme anunciado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), serão concedidos à iniciativa privada 674,1km das BRs 116 e 290, estipulando a existência de uma praça de arrecadação a cada 100km em ambas as rodovias. Além disso, também haverá novas praças de pedágio na BR-158 e na BR-392.


Crédito foto: Guerreiro (AL)

A tarifa é um outro tema nevrálgico, uma vez que o pedágio nos trechos de pista simples deverá ser de R$ 11,54 para carros. Já nas rodovias com pista dupla, o montante para estes veículos poderá chegar a R$ 16,15. Se confirmado o preço, será o pedágio mais caro do Rio Grande do Sul.


Um levantamento publicado recentemente pelo Jornal Zero Hora, mostra o impacto dessas novas praças de cobrança no bolso dos gaúchos:

  • Entre a Porto Alegre e Pelotas, hoje o custo total com pedágios é de R$ 24,60 em uma viagem de ida. O valor saltará para R$ 73,05.

  • Entre Uruguaiana e Porto Alegre, que atualmente não tem praça de pedágio, terá, a partir dos novos pontos de cobrança, um valor para carros de R$ 80,75 - só de ida.

  • Porto Alegre - Caxias do Sul: Atualmente R$ 6,50 se optarem por usar a RS-122. O novo valor será de R$ 18,33.

Não bastando isso, as tarifas em pedágios da Região Sul foram reajustadas em 23,5% no início de novembro. Agora, quem sair de Rio Grande com destino a Porto Alegre, por exemplo, vai ter um custo de quase R$ 100 com os pedágios em uma viagem de ida e volta. O motorista que fizer esse trajeto com um caminhão de seis eixos vai ter que pagar quase R$ 550. “Estou, com nosso time jurídico e técnico, buscando soluções para essa barbaridade. Sabemos que os pedágios são ‘um mal necessário’, mas certamente não deveriam ser criados para onerar o cidadão e dar lucros exorbitantes às empresas. Essa lógica perversa tem que ser revista!”, afirma o deputado.


O aumento foi aprovado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), mas uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) apontou que o preço do pedágio subiu mais de 500% em duas décadas e, hoje, é o dobro do que deveria ser.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo