• Mariana Pires (MTB 14286)

Assembleia realizará Audiência Pública sobre a cadeia produtiva da música e da cultura gaúcha

Atualizado: 22 de Nov de 2019


Na próxima segunda-feira (25), acontecerá a segunda Audiência Pública da Comissão Especial da Cadeia Produtiva da Música e da Cultura Gaúcha da Assembleia Legislativa do Estado. O evento acontecerá no Espaço de Convergência da Assembleia, em Porto Alegre, às 18h.

Proposta e presidida pelo deputado Luiz Marenco (PDT), a Comissão Especial possibilitará o aprofundamento de temas importantes para o artista gaúcho que, muitas vezes, tem dificuldades em sobreviver de seu ofício, ao mesmo tempo em que a arte regional gaúcha, em seus diferentes segmentos, apresenta potencialidades que podem, se planejadas e organizadas para este fim, ser exploradas econômica, satisfatória e eficientemente. Sendo assim, o intuito dos trabalhos é debater e viabilizar incentivos para um mercado que é promissor no combate ao desemprego, na geração de renda e na produção de bens culturais com a marca do Rio Grande do Sul. “Verba para a cultura criativa é um importante investimento, porque além do benefício social e artístico, indicadores apontam que a cada R$ 1,00 aplicado em cultura através das Lei de Incentivo à Cultura Federal, R$ 1,59 retornam para a economia local. Como legisladores, precisamos perceber o potencial da economia criativa para o desenvolvimento humano e econômico do nosso Estado, e essa é a proposta da nossa comissão”, afirma Marenco.

Levantamentos mostram que há 25 mil empresas na área da economia criativa no Estado, gerando 74 mil postos de trabalho e representando 2,3% do PIB gaúcho, números que muitos desconhecem. Para debater este cenário, a audiência contará com os seguintes painelistas: os musicistas Thedy Correa e Clarissa Ferreira, os pesquisadores Diego Müller, Tarson Nuñez e Ricardo Machado, além do presidente do Conselho Estadual de Cultura, José Edil Alves, da diretora do Instituto Estadual de Música, Cida Pimentel, do e Vinicius Brito, representando a Famurs.

O plano de trabalho da comissão prevê interiorização da discussão através da promoção de audiências públicas em diferentes cidades do Estado. A primeira delas já foi realizada em Pelotas no dia 18/11. Ao final dos trabalhos, que devem durar 120 dias, o relator Luiz Henrique Viana (PSDB) deverá encaminhar relatório ao executivo estadual com o diagnóstico da situação e recomendações técnicas a respeito dos seguintes temas: a indústria cultural gaúcha; a cadeia produtiva da música gaúcha; o profissional da música gaúcha e a sustentabilidade do mercado de trabalho; a viabilidade do mercado de consumo da cultura gaúcha; a geração de valor econômico sem violar o valor artístico; as novas tecnologias de produção e marketing; os incentivos e financiamentos públicos e privados; o aperfeiçoamento da legislação de apoio à cultura: Pró-Cultura RS, Lei Orçamentária Anual (LOA), Lei de Incentivo à Cultura/LIC, Fundo de Apoio à Cultura/FAC, Plano Estadual de Cultura do Estado (Lei nº 14778/2015); e os mecanismos de arrecadação e distribuição dos direitos autorais.

Além das Audiências Públicas, estão previstas visitas técnicas – com aplicação de um questionário padronizado – às secretarias e conselhos municipais de cultura, associações e entidades representativas da música e da cultura, visando compreender o perfil socioeconômico dos artistas no Estado, bem como reconhecer experiências exitosas e, também, identificar as dificuldades que vivenciam.


12 visualizações0 comentário